Etapas de contrução previstas
Nosso plano de trabalho é ir construindo aos poucos, somente utilizando receita de doações e por isso o trabalho vai ser feito de forma modular, ou seja, quando houver recursos, construímos, quando não houver, paramos a construção. Não julgamos compatível com a filosofia do projeto realizar atividades comerciais ou pedir empréstimos bancários para angariar fundos. Portanto, não há como saber ao certo quando o trabalho de construção do mosteiro estará finalizado, iremos pouco a pouco, respeitando os limites do que for possível fazer.

Dividiremos o terreno em quatro partes distintas:

  1. Área comum: será o portão de entrada ao monastério e onde estará o estacionamento, sala de meditação, escritório, biblioteca e cozinha/refeitório. O público em geral somente terá acesso a esta área, ficando o restante do monastério restrito àqueles que moram nele ou estão realizando retiro pessoal.
  2. Área feminina: aqui haverá o dormitório feminino, dormitório de voluntários, além de plataformas para meditação ao ar livre.
  3. Área monástica: esta área será de acesso restrito aos monges e nela haverá uma sala de meditação para os monges e cabanas onde habitarão.
  4. Área masculina: aqui haverá o dormitório masculino, plataformas para meditação ao ar livre, uma oficina/depósito e também será o portão de entrada para entrega de materiais e ponto de acesso à área de trás do monastério.

Os trabalhos começarão pela área masculina e monástica com a abertura de uma estrada desde a porteira até o plateau central onde ficará a sala de meditação monástica. Em seguida será feito um sistema de captação de água da nascente, uma oficina que também servirá de depósito de materiais e a sala de meditação.

Feito isso começaremos a trabalhar na distribuição de energia elétrica por toda a área 3 e 4, então em moradias para os monges – inicialmente apenas três – e em seguida no dormitório masculino.

Após o dormitório masculino começaremos a trabalhar na área 1. A primeira coisa a fazer é construir uma ponte para que se possa ter acesso de veículos à área, em seguida, estrada e estacionamento. Então é feita a distribuição de energia elétrica por toda a área 1 e 2 e então começam o trabalho de construção na área 2, ou seja, o dormitório de voluntários e o dormitório feminino.

Aqui haverá uma decisão a ser tomada: construir primeiro a cozinha ou os demais edifícios? O que vai definir essa questão será o quão fácil ou difícil estará sendo conseguir a entrega de refeições aos hóspedes no monastério. Caso encontremos um restaurante que entregue boas refeições a um preço razoável, talvez deixemos a cozinha como último item da lista. Caso contrário, primeiro faremos a cozinha e em seguida o escritório e a sala de meditação principal.

Por fim vem a fase das amenidades, como plataformas de meditação ao ar livre, jardins, mesas e bancos para leitura ou para almoçar ao ar livre, altares ao ar livre, um portão de entrada e demais melhorias estéticas que possam ser realizadas. Quem sabe um dia consigamos também construir uma estupa para armazenar as relíquias que Luang Pó Sumedho nos presenteou em 2015.

E então, feito tudo isso, começa o trabalho de reformar tudo que foi construído no passado e que agora precisa de manutenção…

Progressão de estágios de funcionamento do mosteiro
Conforme as diferentes edificações forem sendo erguidas, diferentes tipos de atividades podem ser realizadas no local. Portanto, inicialmente nomes como “dormitório masculino” ou “sala de meditação monástica” não devem ser levados muito à sério pois esses edifícios só tomarão essas funções quando o monastério estiver completo. Inicialmente o dormitório será unissex, a sala de meditação monástica será de uso de todos e assim por diante – os diversos nomes apenas indicam o uso futuro daquelas edificações. Aqui estão as etapas previstas:

  1. Começando com a construção da oficina e da sala de meditação monástica, já será possível a realização de atividades como palestras, sessões de meditação, pūja, etc. Também a partir deste ponto, Ajahn Mudito estará permanentemente residindo no mosteiro e será possível ir visitá-lo, conversar e fazer perguntas sobre o Dhamma.
  2. Em seguida construiremos um número pequeno de cabanas monásticas para estarmos prontos caso algum monge queira vir morar conosco. Enquanto não houver monges ocupando as cabanas, elas estarão disponíveis para voluntários e voluntárias que queiram vir ajudar nos trabalhos do mosteiro, como construção ou reflorestamento.
  3. Completada a construção do dormitório masculino, já será possível receber visitantes que queiram pernoitar ou realizar retiros pessoais curtos. Durante essa fase será necessário pedir a entrega de almoço ou ir à cidade almoçar, uma vez que ainda não haverá cozinha no monastério. Café da manhã terá que ser improvisado nos próprios aposentos.
  4. Com a construção do dormitório de voluntários e dormitório feminino, a quantidade de pessoas que podem se hospedar no monastério ao mesmo tempo aumenta bastante, mas ainda haverá a necessidade de trazer refeições de fora, caso optemos por deixar a construção da cozinha para o final.
  5. Em seguida se constroem o escritório, o salão de meditação, a cozinha, e assim toda a estrutura básica do mosteiro estará completa. Será possível realizar workshops, palestras, retiros pessoais, cerimônias, um número maior de monges poderá tomar residência no mosteiro, poderemos receber a visita de mestres do exterior, e assim por diante.
  6. Estando a construção do mosteiro realizada, estando ele funcionando de forma tranquila e satisfatória, havendo uma sangha de pelo menos 4 monges morando de forma permanente no local, então iremos consultar os monges sêniores da Forest Sangha e perguntar se julgam apropriado começarmos a aceitar candidatos à ordenação monástica. Caso a resposta seja positiva, começaremos a ordenar anagārikas (postulantes), então samareras (noviços) e eventualmente os primeiros bhikkhus (monges) brasileiros receberão ordenação monástica em solo brasileiro – o que de acordo com os suttas, é o que define o estabelecimento do Buddha Sāsanā em um país, quer dizer, quando monges daquela nacionalidade de forma independente ordenam candidatos da mesma nacionalidade dentro do país, então poderemos dizer que de fato o Buddha Sāsana está estabelecido no Brasil!

Paralelamente a tudo isso haverá sempre o trabalho de reflorestamento que será realizado aos poucos, contando com o trabalho de voluntários e doação de mudas. Felizmente no Brasil parece não ser difícil encontrar ONGs e órgãos governamentais dispostos a prestar auxílio técnico e mesmo doação de mudas, o que parece mais faltar são voluntários para realizar o trabalho de plantio e manutenção das mudas, mas com sorte e paciência seremos capazes de devolver a região ao seu estado natural.

Como Ajudar
Abaixo você pode ver uma lista de edificações que já construímos, que pretendemos construir e também no que estamos trabalhando nesse exato momento. Caso queira ajudar doando recursos, você pode fazê-lo de quatro maneiras:

Você pode doar para um dos projetos em andamento.

Você pode doar o valor total ou parcial de um item. Para isso basta escolher para qual item ou itens quer doar, fazer sua doação por depósito, boleto ou cartão de crédito (dados abaixo) e então enviar um email para mosteiro@sociedadebudistadobrasil.org com uma cópia do comprovante e explicando para qual fim é sua doação. Especifique também se podemos publicar seu nome como doador na tabela abaixo ou se prefere deixar sua doação anônima (quando mais de uma pessoa contribui para um mesmo item, a doação é marcada como “Vários”).

Você pode doar material de construção ou mão de obra.

Você pode escolher um item a ser doado mas em vez de doar o valor da compra, você pode fazer a compra e mandar entregar o material para nós. Neste caso, entre em contato primeiro através do email mosteiro@sociedadebudistadobrasil.org para saber exatamente quais as especificações do item em questão e detalhes de entrega.

Você pode fazer uma doação avulsa, sem especificar para que fim está doando.

Para isso, basta depositar ou utilizar boleto ou cartão de crédito. Os detalhes constam mais abaixo.

Você pode fazer uma contribuição mensal.

Utilize seu cartão de crédito para fazer uma doação mensal para a Sociedade Budista do Brasil. Esse tipo de doação é muito importante para nós pois nos ajuda a ter uma certeza de quanto dinheiro teremos em um dado mês e assim sermos capazes de ter tanto segurança com relação a despesas básicas de funcionamento como melhor capacidade de planejamento. Para contribuir nesta modalidade, acesse esse link:

Torne-se um Amigo da SBB

Informações para depósito bancário:

Banco Itaú, Agência 0093, Conta 06279-2

Nominal a Sociedade Budista do Brasil, CNPJ 34.021.832/0001-06
Para doações de fora do país: Swift Code ITAUBRSP

Doações por cartão de crédito

Clique abaixo para fazer uma doação por cartão de crédito ou boleto bancário.

Prestação de Contas

Os balancetes mensais e anuais da SBB estão disponíveis para consulta na Rede Social SBB. Basta pedir acesso à rede (caso ainda não possua) e entrar no grupo “Contabilidade SBB”.

projetos

PROJETOS

  • Compartilhe
projetos